quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Wacom Inkling...Nada mais que um Scanner?!?

 
Por Ricardo Piologo
Como desenhista, animador e amante de tecnologia, adoro os produtos da Wacom que em matéria de precisão, não tem pra ninguém.
Aqui, no Mundo Canibal e Fábrica de Quadrinhos Estúdio, usamos Cintiqs e tablets Wacom e esse novo lançamento da marca, o Inkling, apareceu como algo mágico.
Quando vi, fui correndo mostrar todo feliz e contente para o Rodrigo Piologo, que é quem desenha tudo para o Mundo Canibal.
Falei um monte, só elogios, vantagens e quando ele acabou de ver o vídeo, adivinha o que ele disse? (com cara de nem um pouco espantado): "Legal! Isso nada mais é que um Scanner?!?"
Eu olhei para cara dele com um sorriso amarelo e disse: "Bem...não...é..., pensando bem...é mais ou menos isso!"
Porque se formos parar para pensar, o que ele faz é digitalizar em tempo real o que desenhamos, não é mesmo???
Mas calma, calma! Antes de me xingarem, não é porque ele disso isso que não quero mais nem saber do produto.
Parece ser algo realmente prático, um bagulho muiiiito louco que vai fazer a alegria e agilizar o trabalho de milhares de pessoas, ainda mais por ser um produto que tem a assinatura Wacom de precisão.
Porem o comentário dele me fez pensar: "Será que vale mesmo a pena gastar dinheiro com isso?".
Não é um produto com preço muito alto, pelo menos nos EUA (US$ 199), mas temos que lembrar que aqui vai chegar umas 4 vezes mais caro e tem também os cartuchos que ainda não sei quanto custará, então já começa a não ficar tão barato assim.
O Rodrigo, apesar ter uma Cintiq a mão, não se adaptou a ela e prefere ainda o bom e velho lápis, papel e caneta.
"Bem, então isso seria perfeito para ele!", você pode estar pensando.
Realmente, mas , mesmo sendo Wacom, não compraremos isso sem que ele teste antes, e tem mais, ele faz animação, então imagine quanto vai gastar com cartucho!!!
Será que vale a pena???
Bem galera, aqui pensamos muito no custo das coisas, então mesmo sendo um produto show, pense e espere para testar e ver se adapta ao equipamento, afinal é possível comprar um scanner por 200 REAIS e folha A4, lapiseira e caneta ponta porosa são tão baratos que nem se leva em conta.

Repito, acho isso SHOW e tenho certeza que quem comprar vai se deliciar, só estou mostrando aqui um ponto de vista de algo que até eu mesmo não tinha pensando antes de Rodrigo dizer aquilo ;-)


18 comentários:

p0ng disse...

Achei muito legal esse produto. Pelo que pude notar, o seu diferencial é poder exportar os desenhos em vetor ou imagem bitmap. Não sei se isso é possível usando um scanner (no caso de desenho vetorial).

Como sou péssimo em desenho, prefiro ficar com minha mesa Intuos4 apenas para pintura e deixar esse equipamento para profissionais, como vocês.

Um abraço! :)

Irmãos Piologo disse...

Bem, ele vai fazer um trace bitmap basicamente, o que fazemos dentro do próprio Flash com um clique, então, na minha opinião, não é isso que faz o grande diferencial dele, e sim o de poder desenhar onde quiser, isso é show!

Willi Lopes disse...

No meu trabalho, todos estavam maravilhados com esse lançamento, até que um dos ilustradores disse exatamente a mesma coisa, não passa de um scanner, realmente, parando pra pensar, é isso mesmo.

Fora que é você disse, tem o custos com as cargas, o valor não tá tão em conta assim, vale mais a pena mesmo comprar um scanner bom.

Alenônimo disse...

Não acho que o Inkling escaneia, mas sim deve criar um vetorial com base nas coordenadas da caneta ou algo do tipo. Ele também permite criar camadas em tempo real, assim como no Photoshop.

Deve ter seus usos.

p0ng disse...

Pois é! Por melhor que seja um scanner, você não pode usá-lo numa praça de alimentação, por exemplo. Sobre essa opção do Flash eu não conhecia. Aliás, antes de ver essa notícia e pesquisar a respeito, não sabia de muita coisa!

Agora, graças à vocês, conheço o Live Trace (Adobe Illustrator) e o Adobe Streamline. Quem sabe com empenho, trabalho duro e meu corpinho bonito, eu não crio um site tão bom quanto o Mundo Canibal? :P

Benny the Dog disse...

Se o ilustrador não faz muita questão de desenhar direto na folha, esse produto não faz menor sentido num mundo dominado por tablets. Só não fica claro se o scanning é constante (daí se mexer na folha tá fu...) ou se é feito toda vez que apertar o botão. E os cartuchos devem ser mais caros que o próprio produto.

Abs!

Weberson Santiago disse...

Tô contigo!

Rony disse...

Para você ver o potencial de um marketeiro!Pegou um produto conhecido por todos, scanner de mesa, transformou em portátil, que penso ser o maior diferencial deste produto, e fez um vídeo muito bem produzido que com certeza desvia a atenção da funcionalidade para a emoção e tecnologia. Se eu fosse americano ou não pagasse impostos absurdos por artigos tecnológicos, penso que compraria um!

Lukas disse...

Meu nome é Lucas tenho 15 anos e uma duvida!
Ricardo ou Rodrigo, bom melhor o Rodrigo pois é mais da área dele, pretendo começar a fazer animações usando o mesmo processo de vcs,é preciso desenhar cada quadro da animação ou dah pra fazer-la estilo história em quadrinhos?

Grato desde jah Lucas

Anônimo disse...

Galera as cargas do Wacom inklink é uma carga de caneta,não é um Scanner o sensor identifica as cordenadas dos traços no papel guarda esta informação e a digitaliza.O legal deste produto é a compatibilidade com os softwares, e a precisão dos produtos Wacom como sempre,uma pena que não será vendido no Brasil é um produto exclusivo para ser vendido no Amazon.com

Anônimo disse...

Aspectos positivos:
1. A carga realmente é de uma caneta comum (na verdade é daquelas cargas pequenas), e pode ser comprada em qualquer papelaria e de qualquer cor. MAS a Wacom também venderá as cargas dela, embora exclusivamente na cor preta. Basta ler o FAQ da página do produto.

2. Você pode levar para qualquer lugar (bem, estamos no Brasil, então todo mundo vai ficar com medo de levar isso pra fora de casa).

3. Ele digitaliza APENAS a tinta (em camadas transparentes), por meio de coordenadas. Então não é tanto como um scanner, que digitaliza a tinta, o papel, a sujeira e os borrões, sem contar aquelas eventuais diferenças de contraste/brilho da arte, etc.

4. Pelo que chequei até agora, o vetor que ele gera é perfeito - ou quase perfeito (digno da precisão que a marca carrega). Quem já usou um LiveTrace da vida sabe que é muito difícil de conseguir um resultado bom, mesmo quando você gasta horas para ajeitar o bitmap exclusivamente para executar o LiveTrace.

Aspectos negativos:
1. A área de captura das coordenadas é pequena, não passa de um A4.

2. A bateria não é infinita e ainda demora um tempo razoável para carregar.

3. A captura não funciona se você bloquear o sinal colocando o dedo numa parte específica da caneta ou se colocar qualquer objeto entre o receptor e a caneta.

No mais, acho um investimento viável sim. Não é um absurdo de caro (só no Brasil vai ficar um absurdo).

Se você é ilustrador/designer/artista/etc e pagou mais de 800 reais em um celular, mas acha 760 caro para um inkling, então talvez seja hora de repensar seus conceitos.

É um produto que não substitui as ferramentas tradicionais (papel, lápis, canetas e marcadores, pincel, tinta, etc), nem um scanner, nem uma tablet (bamboo, intuos, cintiq) e nem os softwares e plugins de edição de imagens vetoriais/bitmap (Photoshop, illustrator, vectorscribe, etc). Acredito que venha para complementar essas outras ferramentas.

Por exemplo, pra mim usar uma tablet para tratamento de imagem é indispensável. Mas para desenhar coisas precisas (como um rough para um logotipo) já é meio complicado e prefiro fazer na mão. Aí entra o Inkling, porque daí não preciso ficar horas tratando o resultado de um escaneamento. Se for pra ter uma pintura ou uma mancha com aquele verdadeiro aspecto tradicional e físico, nem o inkling nem a tablet vão resolver. Aí entra a tinta, o pincel e o scanner.

MeninoinocenteBH disse...

Eu amei esse Inkling, acontece que ja estamos em outubro, e não consigo fazer a compra pelo site da própria Wacom. No site consta o preço do produto, mais não tem ele na loja online.. alguem sabe me dizer onde consigo compra-lo? Aqui no Brasil ainda não chegou, ne?

UMOR disse...

Não concordo com o Piologo, quando diz que a Inklink (com k no final) é apenas um scanner. Vejo no equipamento um conjunto de facilidade para quem desenha, como eu, e principalmente para quem faz animação, como ele. Afinal de contas, uma das características é poder criar layers enquanto desenha no papel. Um facilitador e tanto. Além do mais, dispensar o trambolho chamado scanner é um grande serviço prestado ao desenhista. Quanto ao preço, qualquer equipamento de venda restrita a quem pratica um determinado tipo de trabalho, acaba ficando mesmo caro. Muito mais caro é um scanner de boa qualidade ou um software tipo Photoshop (indispensável), que fica desatualizado a cada ano que passa.
Tô de olho no Inklink e em breve estarei com o meu em cima da mesa, junto com a minha Intuos Wacom, esta sim, de difícil adaptação.
Abrs. UMOR

Anônimo disse...

O nome correto é Inkling (com 'g' no final) e tudo o que o Anônimo disse e o Umor disse concordo em gênero, número e grau!
Comprei recentemente o Inkling no site da fourserv e apesar do preço absurdo, eu tenho certeza que valerá e muito a pena (sou desenhista à mão livre e desiger gráfico). Acho que cada um sabe o que precisa e o que quer pra si (o investimento é muito subjetivo pois acaba se revertendo em lucro depois). O Inkling não 'faz milagre' como a maioria acredita, aliás, nem um programa gráfico, desenhista ou tablet faz milagre! Depende da 'pessoa' que está por trás disso, ou seja, vai depender do nível do profissional e se a pessoa é boa ou competente para fazer o trabalho. É uma questão de adaptação! O que é bom para uma pessoa pode não ser boa para outra pessoa. A habilidade de um é diferente da habilidade de outro. O desenhista criativo se dará muito bem com a ferramenta. Dentro de sua funcionalidade e do que propõe, ele é perfeito e não deixará a desejar!
O Inkling não é um scanner! É um absurdo dizer isso. Ele é um sensor que 'detecta' o traço no papel e 'digitaliza' o desenho. O dispositivo salva o desenho e já o envia em 'vetores'. É uma feitiçaria que nem consigo explicar. Essa que é a questão! Para os desenhistas à mão livre, esta é a ferramenta da vez.
Esse 'medo' de se decepcionar é que estraga tudo...
Podem apostar e ir com fé.
Um abraço.

Irmãos Piologo disse...

Anônimo, como dissemos, ela pula a etapa do scanner e vetorização automatica e essa mágica é bem simples de entender, é o mesmo que scannear e mandar o Flash vetorizar automaticamente usando o Trace Bitmap que existe nele desde quando comecei a mexer (a versão 3 ainda da Macoromedia), então realmente, ele não é um scanner, mas faz essas duas etapas e como tb disse, quem comprar vai adorar e detonar, porem como vc tb disse e concordo, ela sozinha, assim como um scanner, não faz nada, dependo do profissional ;-)

Anônimo disse...

Agradeço muito pelas explicações e pelos esclarecimentos Irmãos Piologo. Parabéns também pelo blog e pelo espaço que vocês destinam. Quem estiver procurando pelo Inkling, o site da fourserv ainda dispõe de algumas unidades... mas se preparem psciologicamente antes pois o preço dele está um pouco acima do esperado rs(mesmo assim, acredito que vale muito a pena pois se às vêzes gastamos mais de mil reais para comprar um celular ou algo do gênero, uma ferramenta como o Inkling é um investimento muito bom que trará benefícios lucrativos para ilustradores, desenhistas ou designers gráficos). Vale o sacrifício. Segundo um revendedor autorizado da AIUP está difícil de encontrá-lo no mercado brasileiro devido a pequena quantidade de fabricação dele ainda por casusa do terremoto no Japão. Mas quem for atrás dele agora, pelo fourserv, é o momento ideal. Um abraço.
André Ricardo.

Anônimo disse...

Eu procurei saber quanto ao cartucho, ele é o tamanho pequeno do tipo "standard" para canetas esferográficas (igual aos da caneta Crown), quem usa uma caneta de troca de cartuchos sabe que o preço é mais ou menos 5 reais/3 cartuchos, ou seja, pelo menos isso não vai sair tão caro. ;)

Ashiya disse...

http://masonsklar.com/post/14804722511/wacom-inkling-vs-scanner
Hahahah XD Ainda adoraria experimentar mas acho que prefiro esperar chegar em casa, escanear o desenho e retraçá-lo com traços limpos numa tablet.
Por isso que digo que prefiro esperar do que ter uma opinião sobre algo baseado em hype.


Olá Galera! Este é o blog dos irmãos Ricardo e Rodrigo Piologo que junto com Rogério Vilela, são os criadores do site Mundo Canibal (www.mundocanibal.com.br).
Esperamos que gostem e não deixem de nos visitar!!!